iluminação e mestres

    A Margot me ensinou que todos os animais têm alma e que os outros animais são muito mais evoluídos que a humanidade.

    A Margot era um buda encarnado cachorro.
    Paciente, silenciosa, muito especial.
    Quando queria uma coisa parava, sentava e me fitava.
    Aquele olhar ia me incomodando e me conduzia a fazer tudo o que ela queria.

    A Margot não lambia, não mordia, não latia e não chorava.
    Não gostava de contato físico muito intenso, só adorava que lhe coçassem a barriga. Apesar disso, suportava pacientemente, imóvel, meus arroubos de carinho, quando eu a segurava no colo e a balançava como a um bebê humano.

    E aqueles olhos? meus Deuses! que olhar era aquele!
    Sinto muita saudade dela e agora eu choro.
    Era um olhar de gente! de gente muito especial!

    Quando a Margot ficava fora de casa, ela não chorava, não latia, ela simplesmente sentava e esperava que sentissem sua falta. Só!

    Quando queria algo e eu fingia que não percebia seu olhar, ela fungava, fazia que coçava o nariz.
    Se mesmo assim eu não a atendesse, fingindo que não ouvia, ela encostava delicadamente os pêlos em volta de seu focinho na minha perna e pronto!, conseguia tudo!

    Nunca mais vou esquecer aquele olhar dela pra mim quando ela estava no hospital, toda cheia de água, porque seu rim não funcionava, balançando, mal se mantendo sentadinha.
    Era um olhar suplicante que me perguntava: o que foi que eu fiz de errado? o que está acontecendo comigo? por que não me levam pra casa? por que não me tiram desse lugar? Por que me maltratam tanto?

    Também nunca vou esquecer quando ela procurava os cantinhos escuros da casa pra ficar quietinha porque sabia que ia morrer.

    A Margot tinha apenas dois anos.

Anúncios

Sobre patrícia noronha

artista pesquisadora da dança e do teatro, integra o corpo docente do departamento de artes corporais DACO/IA/UNICAMP, integrou por 16 anos o corpo docente do departamento de artes cênicas CAC/ECA/USP, dirige a cia. patrícia noronha PANAPANÁ dança e teatro.
Esse post foi publicado em blog e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para iluminação e mestres

  1. Josy Fernandes disse:

    Essas criaturinhas marcam a gente; você também marcou a vida dela. Emocionou-me seu relato.

  2. obrigada por sua mensagem, Josy!
    vc me emocionou com ela
    ô saudades que sinto da Margot!
    agora cuido do Nick, também Lhasa Apso, mas a Margot, assim como qq um de nós, é insubstituível…
    forte abraço e tudo de melhor na vida pra você!
    patrícia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s